À favela

 

 

Abri a porta do barraco dia lindo,
Movimentação lá na frente os meninos,
Soltando pipa na manha sem avisar ninguém,
Por diversão “tranquilão” tudo bem,
Subir lá na tia antes que o pão “acaba”
Domingo de manhã é de lei a pelada,
Mais tarde o “churrascão”,
Marcado com os irmãos,
Trocar idéia do rep, da vila, “das produção”,
Muitos aqui da quebrada tem sonhos imortais,
Que nem o tempo com toda experiência é capaz,
De apagar,
Somente pode colaborar,
O dom de jah,
E dado pra aqueles que sabem usar,
Eu sei!
Em passos errados já caminhei,
A luta é diária não pense que descansei,
Se ajude pra você poder ajudar alguém,
Viva intensamente sem medo do que vem.

2x
Quando sua vida mudar favela dirá amem,
Só não se esqueça do bairro pobre de onde veio.

Mais uma vez eu dedico esse rep “prus” meus mano,
Que tá privado da liberdade a mais de ano,
Talvez nesse momento escutando esse rep,
Precisamos de vocês se não a favela perde,
Bastante trabalho pra gente ter só o básico,
Só da sobrevivência “memu” como escravo,
Quero te falar dos diamantes bruto aqui,
Soterrado de nãos e nãos e nenhum sim,
Então, a questão aqui é o talento natural,
Na bola, na música, nos “trampo” artesanal,
Mais quem da valor aqui é só a gente “memu”
Vendo os “rala” pesado outros passando veneno,
E de vez em quando um destaca, muda a rotina,
Consegue melhorias,
Pra sua família,
Alivio os “peré”,
É o que pega num é,
Só não se esqueça da favela que sempre aplaudiu de pé.

2x
Quando sua vida mudar favela dirá amem,
Só não se esqueça do bairro pobre de onde veio.

Ae muita paz a todos “memu” onde a paz não existe, jeová levará se realmente for isso que desejar, prepare seu coração porque convites virão, e se algum dia conseguir algo, não vire as costas para suas raízes, seja verdadeiro consigo mesmo à favela, à favela.

2x
Quando sua vida mudar favela dirá amem,
Só não se esqueça do bairro pobre de onde veio.